top of page
Logo Curso 2023.jpg

Sabe aquelas ideias legais que você tem, mas não sabe como desenvolvê-las bem? Aqui você resolve.

O curso capacita plenamente quem pretende entrar no mercado audiovisual, ou quem quiser crescer nele. E muda sua forma de ver filmes e séries.

Próxima turma:

6, 9, 13, 16, 20, 23 e 27 de Maio

das 19:00 às 22:00 horas

por Zoom.

Investimento:

R$300,00

Romeu di Sessa 2023.jpg

Romeu di Sessa é roteirista e diretor há 30 anos. Teve duas peças em cartaz, Do Lado de Dentro, a qual também dirigiu e Adão, Eva e Mais uns Caras. Em TV escreveu roteiros para os programas Alô Doçura no SBT, Você Decide e Vida ao Vivo na Rede Globo. Escreveu e dirigiu o programa Rally dos Sertões na Record. Escreveu e dirigiu documentário sobre a cidade de Poxoréu.

Em TV fechada assina os roteiros das séries: Destino Lua de Mel, Ciência em Casa e Copa do Caos. Dirigiu uma temporada do programa Diário do Olivier no GNT. 
Em cinema ganhou 8 prêmios com o curta Átimo – o qual também dirigiu – entre eles Kikito de melhor filme. Colaborou na elaboração dos longas Minhocas e Confia em Mim. Fez vários cursos de roteiros, entre os mais importantes, 3 de Syd Field e 2 de Robert Mckee

Quem ministra o curso?

O curso A Anatomia de uma História existe desde 2005 e já capacitou cerca de 1000 pessoas. Foi ministrado em empresas produtoras de audiovisual, como Mixer, escolas de ensino médio e também em espaços culturais como: Oficinas Oswald de Andrade (6 turmas), BRAVI, os SESC Vila Mariana, Santos, Campinas, Rondonópolis, Cuiabá, Piracicaba, São José dos Campos, Jundiaí, Itu, Santo Amaro e Pinheiros, nas prefeituras de São José dos Campos, Itu e Mogi, na RioFilme, no Cine Petra Belas Artes, no MIS (6 turmas) e no Mackenzie.

Logo SESC.jpg
Mack.jpg
Logo Poiesis1.jpg
Logo MIS.jpg
Logo Itu.jpg
Logo São José.jpg
Logo RioFilme.jpg
Logo Emilie.jpg
Logo Petra.jpg
BRAVI.jpg
Logo Oficinas.jpg
Logo Planeta Tela.jpg
Turma Oswald 2021.jpg

Em 2020 começaram as turmas online, com ótimos resultados, os mesmos obtidos em cursos presenciais. Cerca de 20 turmas até agora, incluindo um grupo da California.

Palestra Poiesis Julho 2020.jpg
Turma 44 - Oswald.jpg
Curso Turma 06.jpg
Turma ICAB - 2022.jpg
Turma 49 PM.jpg
Turma 48.jpg
Turma 47.jpg
Turma 02 Maio.jpg
Turma 01 Abril.jpg
Turma Petra Junho.jpg
Turma 42 Palestra.jpg
Turma Mackenzie.jpg
Turma São José 02-22.jpg
Turma 07.jpg
Curso Oswald 2020.jpg
Turma 05.jpg
Turma Online 04.jpg
Turma Barbeiro 1.jpg

Veja vídeo sobre o curso:

Vídeos de apoio do curso:

6 dicas imperdíveis de  como estragar um roteiro:

Ainda não se convenceu?

Então roda a tela aí!

● É um curso completamente ilustrado. Todos os pontos mais importantes e cruciais para se entender dramaturgia são mostrados com exemplos, em mais de 40 trechos de filmes, de todos os tipos. Sem contar que ao final analisamos um filme inteiro, cena a cena, entendendo a função dramatúrgica de cada uma delas.

Para quem serve este curso?

 

Para iniciantes – porque dá uma ótima base sobre a estrutura de um roteiro e os mais importantes elementos de composição, como plots, gatilhos, cenas, arquétipos, personagens e seus arcos, clímax, resolução e muito mais.

 

Para iniciados – porque normatiza e ajuda a organizar todas as informações que você já teve sobre técnicas de dramaturgia. E certamente vêm informações novas também, ou no mínimo uma abordagem nova e instigante para aspectos já conhecidos.

O foco principal é roteiro de cinema, mas atende também a quem queira desenvolver projetos para TV, teatro, games, webseries, branded content, publicidade, documentários, HQ, monografias, redações, livros, enfim, qualquer atividade baseada em "contar histórias".  

E é fato: o curso muda a forma como você assiste a filmes e séries.

O que o curso te entrega?

 

Em uma palavra: controle. Você sai do curso com controle do processo criativo, sabendo por onde você tem que passar e que elementos deve usar para sua história ser bem contada, de forma estruturada, universal, fluida e envolvente.

 

E falando no sentido prático, ao fim do curso você vai receber um Power Point com a totalidade do que foi visto em aula.

Quais os diferencias deste curso?

 

● Primeiro de tudo, é um curso dado por quem vive de roteiro há mais de 30 anos e ensina há quase 20. Aqui você vai aprender com quem conhece o que está falando, por estudo, mas principalmente por vivência.

● É um curso 10% filosófico e 90% técnico. Não é um curso para quem quer "pensar o fazer cinema", mas sim pra quem quer trabalhar com isso. Costumo dizer que meu curso deve ser visto como se fosse um curso do SENAC, e não uma palestra de um intelectual. Tem uma coisa ou outra que é mais filosófica mesmo, mas a maioria é "mão na massa", um curso que você sai dele, senta e escreve seu roteiro.

● Não há uma única vírgula que eu ensine no curso que eu mesmo já não tenha testado ou usado como roteirista. Eu só ensino o que acredito e só acredito no que já vi, não no que ouvi falar.

● O curso é muito interativo. Eu menos "falo" as matérias, eu mais as tiro da cabeça dos alunos. O curso parte da premissa que a estrutura e os conceitos de dramaturgia estão dentro das pessoas, fazem parte do nosso imaginário, talvez até por algum motivo fisiológico, de uma necessidade que o cérebro tem de receber as informações numa certa ordem. Ou por exemplo, todos nós somos capazes de perceber o que é um arquétipo, então quando eu explico isso, eu faço o aluno reconhecer os arquétipos que ele já viu e que ele mesmo já foi na vida. As informações já estão nos alunos, eu só instigo e puxo. E com isso dou consciência e controle.

● Eu ADORO ser questionado. Se você quiser me ver feliz, conteste alguma coisa que eu falei. E me aperte até eu confessar tudo o que sei sobre a matéria.

Humor. Eu acredito muito no poder do humor para ajudar a entender e absorver informação. Mas não "paro o curso pra fazer piada". Todas as piadas e histórias engraçadas que falo fazem parte das matérias, ilustram os temas e assim fixam melhor as informações.

Filmes1.png

Veja a opinião de quem já fez este curso:

Segue a ementa, um resumo de boa parte do que você vai aprender no curso:

 

As três palavras que regem a vida de um roteirista: respeitoescolhas e controle.

Premissa que o curso defende:

Mais do que se comunicar, o ser humano é capaz de contar e entender histórias. Somos os únicos na natureza com essa habilidade. Isso foi e é fundamental para evolução da espécie. Contar história não é mera diversão, é elemento essencial de sobrevivência e evolução, porque contando histórias compartilhamos nossas vivências. É possível que sem a dramaturgia fôssemos apenas outro tipo de macaco, talvez mais inteligentes, mais hábeis com a fala, mas ainda assim apenas outro tipo de macaco. Mas para o ato de contar uma história funcionar, é preciso que ela seja contada numa certa sintaxe, num padrão pré-estabelecido, um paradigma, que preencha a expectativa de quem a ouve, senão não terá como o interlocutor absorver as informações nela contidas.

● Toda história conta uma experiência transformadora, positiva ou negativa.

● A história tem que ser universal e ao mesmo tempo única.

● Exemplo básico de uma história dentro do paradigma.

● Estudiosos como Aristóteles, Campbell, Field, Vogler e McKee não criaram este paradigma, eles o detectaram e o expuseram didaticamente e o transformaram numa ferramenta para quem escreve. O paradigma já está dentro de cada escritor, apenas por ser um ser humano. O estudo da dramaturgia dá controle ao autor sobre sua obra e seu processo criativo. Esses teóricos - bem como o estudo da dramaturgia - não ensinam como escrever um bom roteiro, eles explicam como os bons roteiros são escritos.

● Não é uma fórmula, mas uma forma.

● A boa notícia: dramaturgia não é álgebra, nem contabilidade. A má notícia: dramaturgia não é a casa da avó, onde pode tudo... Existem regras, que por mais que elas tenham alguma flexibilidade, devem ser sempre observadas. E você pode romper todas as regras, desde que você saiba o que está fazendo.

● Diferença entre tema e temática.

● Os três atos e seus elementos.

● O que compõe os Universos – Universo Comum e Universo Especial.

Backstory. Como era o personagem antes do filme começar.

● A Fraqueza Moral do personagem e o que ela define na sua trajetória.

● O poder do Midpoint.

 

● Diferença entre Clímax e Resolução – diferença entre o que o personagem quer e o que ele precisa - diferença entre anticlímax e arco negativo.

Subtramas, tramas correlatas que formam a trama principal e influenciam nela.

Arco do personagem, mudança, ele mereceu (nos dois sentidos: prêmio e castigo).

● Fuja dos clichês, especialmente os de "primeira prateleira". Pense sempre com a parte de cima do seu cérebro: não "lembre", crie!

Motivação e empatia. O ser humano é capaz de se colocar no lugar do outro. Dramaturgia vive desta habilidade humana, sem ela, não existiria dramaturgia.

 

● Sem motivação e sem obstáculos, não há drama, nem trama. A isso dá-se o nome de conflito: a oposição entre motivação e obstáculos. O que define um personagem (e por consequência o desenrolar da trama) é como ele lida com seus obstáculos e qual seu comprometimento com seu objetivo, com seu quest.

 

● O conflito é sempre interno, apesar de também existirem conflitos externos.

Subtexto: Um personagem é o que ele faz, não o que ele fala.

● Fuja dos estereótipos, eles são sempre reduções, baseadas em preconceitos.

Arquétipos recorrentes na dramaturgia:

Herói

Vilão/antagonista

Mentor

Guardião de limiar

Aliado

Arauto

Pícaro

Camaleão

Master Scene. Os alunos receberão um template de Word neste formato oficial do mercado, para já começarem a desenvolver as tarefas (e seus projetos) nele. Receberão também um vídeo explicando minuciosamente o que é e como é o Master Scene.

● Composição de cenas. Cena é a parte da história que você escolheu contar.

Beat: o menor elemento de um roteiro, os pulsos de cada cena.

● Uma cena só serve para fazer a história andar para frente, ou para revelar informações sobre os personagens. Todas as outras devem ser excluídas.

● Você não escreve para o público, mas para uma equipe de produção.

● O roteirista decide "o quê", quem decide "como" é o diretor. Aceite isso com resignação. Não é para decupar!! Isto é trabalho do diretor, você não ganha para isso.

● Trabalhos amadores não precisam de pesquisa. Todos os outros precisam.

● Domine o patois, a idiossincrasia da "língua" que os personagens falam.

● Dê personalidades distintas para cada um dos seus personagens, não faça todos falarem como você.

(A menos que você seja o Woody Allen...)

● Character-Driven x Plot-driven, a falsa questão.

● Ideias de primeira geração. Use a primeira ideia que lhe vier à cabeça exclusivamente se você for um gênio. Caso contrário, trabalhe. Acredite: você é capaz de pensar em muitas soluções para uma mesma situação. Pense em várias e escolha a melhor.

Verossimilhança e plausibilidade: Uma provável impossibilidade é melhor do que uma possibilidade improvável.

● Exija sempre Inteligência do seu público, nunca exija cultura.

● A diferença entre cultura, inteligência e senso comum.

Show, don't tell. O cinema foi mudo por mais de 30 anos. E deu certo. Grandes obras primas foram feitas sem que uma única palavra fosse dita. O público paga ingresso para ver, não para ouvir falar. É cinema, não rádio novela.

● Se for falar, fale bem. Diálogo é sedução.

● Os dois lados têm que ter razão.

● “A Arte da Berinjela”: Plantando informações que o público precisará ter ao longo da história.

● "On the nose": exposição didática e aborrecida versus inteligência e cumplicidade com o público. O público não é bobo.

● Entre tarde, saia cedo. Toda cena tem uma função na trama. Ela deve começar um instante antes de cumprir essa função e deve acabar um instante depois. Não enrole.

● Personagem não é seu empregado, é uma pessoa e tem que ser tratada como tal. Quando você o trata com respeito, ele retribui, ajudando a compor a história.

● Quem tem que viver é o personagem, quem tem que sentir emoções é o público.

● O desafio cai do céu, a solução não. O acaso só pode complicar a vida do protagonista, nunca resolver.

Clockticking, é a chave para suspense e comédia.

Deus Ex Machina. Nunca! (se usar, não conte a ninguém que foi meu aluno...)

● O Processo de Criação e suas etapas.

● Projeção de um vídeo que "simula" como pode ter sido a criação do roteiro do filme "Uma Linda Mulher".

● O Fluxo de Informação: quem sabe o que, quando? As possibilidades são:

- Protagonista vai descobrindo as coisas junto com o público;

- Protagonista sabe mais que o público;

- Público sabe mais que o Protagonista;

- Público e Protagonista descobrem juntos a informação bombástica;

- Protagonista tem um segredo. Ele e o Público sabem mais do que os outros personagens da trama.

Nenhum "está certo" nem "errado", cada história tem sua demanda.

● Tipos de histórias quanto ao Plot.

● Um roteiro é uma mala pequena para uma viagem longa. Leve só o necessário. Na dúvida, corte. Sem dó.

● REESCREVER! Por que se reescreve?

● Um roteirista precisa ter muitos amigos. Preste atenção no problema que eles detectaram, não obrigatoriamente na solução que eles deram.

 

● Um roteirista precisa ter bagagem, repertório, vivência. Saia do Instagram e vá se ferrar um pouco na vida, se quiser ser roteirista.

● Adaptação de história real não é reportagem.

● O seu personagem pode ter uma agenda política, ideológica, religiosa, ou social a cumprir. A sua não interessa. O filme NUNCA é sobre o roteirista que o escreveu. Se você quiser abordar um tema que lhe seja caro ou que julgue importante, faça com que seu personagem o VIVA, não que seja seu porta-voz.

● Escrever é verbo, não adjetivo, o termo não descreve uma qualidade sua, mas uma atividade. Portanto escreva MUITO.

● E o mais importante de tudo: Revolucione o quanto quiser! Mas antes de revolucionar, coma o clássico com farinha.

 

Ao final, assistiremos a um filme, comentando cena por cena. Os temas já abordados serão revistos, agora de forma aplicada.

 

Toda aula tem lição de casa, que será lida e comentada em classe na aula seguinte.

Não te convenci ainda!?

Bom, ok. Roda a tela aí mais um pouco, quem sabe agora eu consigo...'

Veja mais comentários de quem já fez este curso:

• Fiz este curso maravilhoso de roteiro com o mestre Romeu, no Sesc Santos. Foi uma experiência ímpar e que não vejo a hora de poder realizar novamente. Toda a luz para Romeu! - Rafael Ponzios

• Muito bom o curso! Entrei pensando que ia aprender simplesmente a estruturar um roteiro e saí com diversos conceitos de linha de tempo, formulação de personagens etc. Valeu muito a pena. - Daniel Sviaghin Rosanski

• Já fiz vários cursos nessa área e o seu é simplesmente o melhor. Impressionada com o seu talento e paixão pelo que faz! Nunca vou esquecer a história da berinjela!!! - Adriana Paesman Menegatti

• Agradeço à oportunidade de ter sido sua aluna no Sesc Vila Mariana, foi sensacional!! - Andrea Ferreira

• Curso sensacional, professor mais ainda hehehe! - João Pedro Lvcd

• Professor, obrigada por dividir tanto conhecimento conosco!!! Na torcida pela parte II do curso. - Fernanda Elnour

Comentários_dos_Alunos_Sem_Face.jpg
Comentario_Daniel_Feito.jpg
Heloi Cel2.jpg
Elogio Trevis.jpg
Aluno em Praga.jpg

Questionário sobre o curso, respondido anonimamente pelos alunos. Esses são só alguns alunos dos cursos online, mas sempre fiz avaliação do curso, e a proporção sempre foi a mesma.

Formulário01.png
Formulário02.png
Formulário03.png
Formulário04.png
Formulário05.png
Formulário06.png
Formulário07.png
Formulário08.png
Formulário09.png
Formulário10.png

Não te convenci ainda?!

Puts, nem sei mais o que falar...

Faz o seguinte, se inscreva. Se na primeira aula você não gostar, você desiste e recebe seu dinheiro de volta. Mas saiba que isso nunca aconteceu... 

 

Acredite, este curso vai fazer diferença pra você.

bottom of page